Acusados de matar fazendeiro durante assalto no AC são condenados a quase 200 anos de prisão

G1Acre

Populares tentaram invadir delegacia para linchar suspeitos de matar o fazendeiro em julho do ano passado — Foto: Alexandre Lima/Arquivo pessoal
Populares tentaram invadir delegacia para linchar suspeitos de matar o fazendeiro em julho do ano passado — Foto: Alexandre Lima/Arquivo pessoal

Os cinco acusados de matar o fazendeiro Raimundo Nonato Pessoa, de 55 anos, durante um assalto, foram condenados a quase 200 anos de prisão. O julgamento ocorreu no último dia 28 na Comarca de Brasileia.

Pessoa foi assassinado com um tiro de espingarda nas costas durante um assalto em julho do ano passado, na propriedade dele, que fica quilômetro 59 da BR-317, em Brasileia.

Islomar Geronimo de Lima, Weliton Fernandes Filho, Vanderson Felipe Marcelo Santana e Cleberson Alves Moreira atiraram contra o fazendeiro e saíram do local levando duas caminhonetes, uma espingarda e R$ 10 mil da vítima. Um menor também estava envolvido.

Além da vítima, mais cinco pessoas estavam na casa na hora do assalto. Após pegar o dinheiro, os criminosos atiraram contra o fazendeiro e estilhaços do tiro ainda feriram uma mulher nas costas que foi socorrida e levada ao hospital.

Alexandre Amorim de Oliveira é apontado pela Justiça como o taxista que teria levado a quadrilha até a casa da vítima. Ele foi condenado a 41 anos de prisão.

O grupo vai responder por latrocínio, que é o roubo seguido de morte, roubo e corrupção de menores.

Recurso

Ao G1, o advogado Sanderson Moura, que defende Alexandre, garantiu que vai recorrer da sentença porque o cliente não tem culpa no crime.

“Ele é uma pessoa inocente nessa história. Não sabia da trama que ia acontecer, como muitos outros envolvidos em encrencas parecidas e que sofrem penas injustas. Não quero dizer que não tenham taxistas ou mototaxistas que não façam isso, mas também não descarto deles serem condenados injustamente”, acrescentou.

Os acusados vão cumprir a sentença em regime fechado e não podem recorrer do resultado em liberdade.

O resultado foi divulgado no Diário do Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC) na terça-feira (3).

Sentença

A Justiça condenou Islomar Geronomo de Lima a 34 anos e 2 meses de prisão; Weliton Fernandes Filho a 41 anos e 20 dias; Vanderson Felipe Marcelo Santana vai cumprir 47 anos e 10 meses e Cleberson Alves Moreira a 34 anos e 2 meses.

Os quatro foram presos um dia depois do crime a pedido do Ministério Público do Acre (MP-AC). Quando souberam das prisões, familiares da vítima tentaram invadir a delegacia de Brasileia para linchar os presos.

Na época, a MP informou que o pedido foi feito por causa da gravidade da ação praticada pelo grupo e pelo risco de planejarem outras ações.

Além disso, confirmou que Islomar Geronimo de Lima havia sido preso anteriormente por integrar facção criminosa. Weliton Fernandes Filho, que também possui antecedentes criminais, teria sido o mentor e Vanderson teria sido autor do disparo que matou o fazendeiro.

A Justiça determinou ainda que os acusados paguem o valor de R$ 200 mil aos parentes da vítimas e sobreviventes do crime.